Antoni Abad

Nasceu em Lleida em 1956 e atualmente vive em Barcelona. Seus projetos foram apresentados no Espaço Uno – Centro de Arte Rainha Sofía, Madrid 1997; Museu de Arte Moderna de Buenos Aires 1999; II Bienal Ibero-americana de Lima 1999; MECAD/ZKM’net_condition, Karlsruhe 1999; Dapertutto – Bienal de Veneza 1999; Media Lounge – New Museum of Contemporary Art, New York 2001; Hamburger Banhof, Berlin 2002; Museu de Arte Contemporânea de Barcelona 2003; P.S.1. – MOMA, New York 2003;
Centro Cultural de Espanha, México DF 2004; 1ª Bienal de Sevilla 2004; Centro de Arte La Panera, Lleida 2005; Museu de Arte Contemporânea de Castilla e León 2005; La Casa Encendida, Madrid 2005 e na Interne.

Texto: forumpermanente | Imagem: Instagram do artista

extremidades: leituras
entre arte, prátcas
midiátcas e experiência
contemporânea
Megafone.net”, de Antoni Abad.

Texto de Christine Mello no Livro “O cinema e seus outros”

Canal Motoboy – Antoni Abad & Daigo Oliva

Texto e imagem: REVISTA ZUM

Há mais de uma década, o artista espanhol ANTONI ABAD criou o Megafone.net, um canal de internet que dava voz a grupos discriminados socialmente, como taxistas na Cidade do México, imigrantes em Nova York e prostitutas em Madri. Na versão brasileira, Abad entregou celulares com câmera a motoboys de São Paulo para que registrassem sua rotina. Fotos e vídeos expunham em tempo real o cotidiano da rua e momentos de lazer. O projeto ajudou a dar visibilidade ao grupo e atenuar a imagem de rebeldia, além de contribuir para identificar problemas da cidade. Encerrado em 2015, o canal permanece como uma experiência pioneira e visionária baseada no uso da imagem e das ferramentas digitais.